17/11/2011

notas mentais de ontem...










Então a noite foi assim...
Chegando lá com duas horas e meia de antecedência, visto que o site dizia que os ingressos seriam retirados no local somente uma hora antes do espetáculo, fui informada que eles haviam sido todos vendidos durante a semana, e o teatro estava absolutamente lotado.
Depois da indignação, e de reclamar sobre a dubiedade das informações do site... lidar com a frustração de não poder ver o Augusto, o Cid Campos e a Adriana Calcanhoto de pertinho, foi um balde de água fria.
Mesmo assim fomos pedir informações sobre os eventos do resto da semana, e eis que haviam desistências de última hora: conseguimos os dois últimos ingressos em cadeiras contíguas e bem perto do palco.
Aí começou a magia.
E esse homem de 80 anos completos entra e fica o tempo todo em pé, falando com aquela clareza que lhe é peculiar, com aquela congruência de quem já tem um mundo dentro de si, com absoluta tranquilidade e o jeito mais simples possível. Firmeza na voz e nas mãos, firmeza em sua poesia concreta e em suas intraduções de outros tantos poetas maravilhosos.
Cid Campos, seu filho, ali bem pertinho pra entrar certeiro com o violão e as intervenções no telão, nesse mix multimídia que vinha historicamente de Daniel Artaud até Caetano Veloso... desfilando Kilkerry, Mallarmé, Pound, Dickinson, Lewis Carrol, e tanta gente boa que minha cabeça ainda enlevada não consegue lembrar direito agora.
Adriana com aquela voz de veludo, sutilmente deu o toque de leveza indispensável.
Tudo perfeito, tudo repleto da verve desse senhor que ali, ao vivo, não me intimidava tanto como quando peguei pela primeira vez em mãos o seu “Não”, o livro da capa azul.
Concretíssima, além da poesia, foi a emoção e o nó na garganta ao vê-lo sair, ao final do show, para a coxia abraçado com seu filho, e saber que eu tinha acabado de presenciar um dos mais belos e importantes momentos da história da poesia brasileira.


Mercedes Lorenzo





4 comentários:

REBOSTEIO - revista digital disse...

em 2010 foi mais ou menos assim...

http://www.youtube.com/watch?v=y8dLSdQDlZs

Sylvio de Alencar. disse...

Bem bem bem... Uma revista de sustança!!!
Muito bem inaugurada!
Embora não, como direi, esteja tão perto do carinho que vcs devotam ao mestre, percebo em mim a sensibilidade necessária para valorizar suas criações, e sua pessoa!
Me sinto honrado e feliz por poder compartilhar seus sentimentos com relação a este sublime evento e, te digo, lendo-a, ouvindo-a, é como se eu estivesse estado com vocês dois participando daquele momento.
Sem duvida o mestre tem, em você Mê, e em você Rubens, dois discípulos a altura; leio e aprecio de montão suas criações, então sei do que estou falando.

Vida longa ao Rebosteio pois que, sem um, a vida fica bem mais sem graça.

Abraço forte!

( Essas palavras de verificação me matam! :)

guru martins disse...

...muito bom
bem vinda!!!

bj

NDORETTO disse...

Salve!
Estou entrando sem bater.....Dá licença?

Lendo e achando muito bom por aqui!

\O/BJ